segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Alexandre Rodrigues da Cruz de Castro, do Seridó




João Felipe da Trindade (jfhipotenusa@gmail.com)
Professor da UFRN, membro do IHGRN e do INRG
Meu bisavô, Alexandre Garcia da Cruz, veio de Florânia para Angicos, em 1905, segundo Aluízio Alves. Ele herdou o sobrenome Cruz de Alexandre Rodrigues da Cruz, e o Garcia de Antonio Garcia de Sá Barroso.
 O coronel da Ribeira do Seridó, Alexandre Rodrigues da Cruz, antes de ir para o Seridó, morou no Ceará e outras localidades. No seu impedimento, por lhe dar o ar na boca e na garganta e se achar com perigo evidente de vida na praça de Pernambuco e desenganado de médicos e cirurgiões foi substituído por Cipriano Lopes Galvão. Ele era casado com Dona Vicência Lins de Vasconcelos.  Cipriano Lopes Galvão, filho do coronel de mesmo nome, que ocupou a vaga de Alexandre, casou com uma neta deste último, filha de Teresa Lins de Vasconcelos e Antonio Garcia de Sá Barroso. A esposa de Cipriano, segundo do nome, tinha o mesmo nome da avó materna, Vicência Lins de Vasconcelos. Alexandre Rodrigues da Cruz se localizou na Fazenda Acauã Velha, no Acari. Ele e Vicência geraram minhas hexavós Anna Lins de Vasconcelos e Tereza Lins de Vasconcelos, casadas respectivamente com Antonia Garcia de Sá Barros e o português Francisco Cardoso dos Santos, morador na Fazenda do Bico da Arara, em Acari.
Revendo as imagens, que fotografei de registros do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, encontrei descendentes do Coronel Alexandre Rodrigues da Cruz e Dona Vicência Lins de Vasconcelos, cujos batismos ocorreram na Matriz de Nossa Senhora da Apresentação do Rio Grande do Norte, como segue:
Francisca, filha legítima de Alexandre Rodrigues da Cruz de Castro, natural da Freguesia de Santa Anna de Caicó, e de Maria Joaquina de Mello, natural desta Freguesia, neta paterna de Francisco Cardoso dos Santos, natural das partes da Europa, e de Dona Thereza Lins de Vasconcellos, natural da Freguesia de Caicó, e por materna de Antonio Teixeira da Costa e de Thereza Antonia de Jesus, naturais desta Freguesia, nasceu aos onze de maio de mil setecentos e oitenta e sete, e foi batizada com os Santos Óleos, nesta Matriz, aos treze do dito mês e ano, por mim abaixo assinado, e foram padrinhos Joaquim José de Andrade e Elena Hipólita Caciana da Costa, solteiros, e não se continha mais no dito assento, do que mandei fazer estes em que por verdade me assino. Pantaleão da Costa de Araújo. Vigário do Rio Grande.
Outro filho de Alexandre e Maria Joaquina foi Miguel. Ele nasceu aos 8 de maio de 1779, e foi batizado, na Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, aos vinte do dito mês e ano, sendo padrinhos Alexandre de Mello Pinto, e Brázia Thereza de Mello, filha do mesmo. No registro de Miguel, diferentemente do de Francisca, Francisco Cardoso dos Santos é dado como natural da Freguesia de Santo Antonio de Tracunhaém. Nele também é omitido o sobrenome Castro que aparece no nome de Alexandre, que aliás não sei de onde surgiu.
Não encontrei outros registros ligados a Alexandre Rodrigues da Cruz. Entretanto, para complementar nossos estudos, fui procurar informações sobre a família de dona Maria Joaquina de Mello, esposa dele. Antonio Teixeira da Costa, pai de Maria Joaquina, foi nomeado cabo de esquadra, como podemos ver no trecho extraído do documento escrito por Manoel Pinto de Castro, datado de 15 de junho de 1778.
José Batista Freire, tenente e comandante de Infantaria paga desta guarnição, e João Duarte da Silva, capitão auxiliar, e vereador mais velho da Câmara desta cidade, ambos sucessores no governo desta Capitania e Fortaleza do Rio Grande do Norte, pela real ordem da Majestade Fidelíssima, de 12 de dezembro de 177(ilegível), porquanto, do Ilustríssimo e Excelentíssimo José Cesar de Menezes, governador, e capitão general de Pernambuco, Paraíba e mais capitanias anexas, em carta de 02 de junho do corrente ano, nos ordena passarmos nomeação, e mandarmos sentar praça de cabo de esquadra de infantaria paga ao soldado Antonio Teixeira da Costa, na Esquadra que vagou por falecimento de Vicente Rodrigues Sepulvida da companhia de que foi capitão Manoel da Silva Vieira e nas que guarnecem a Fortaleza da Barra do Rio Grande do Norte.
Esse Antonio Teixeira da Costa casou com D. Thereza Antonia de Mello em 3 de fevereiro de 1761, na Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, sendo ele filho do condestável Carlos de Freitas da Costa e de Dona Maria de Assumpção Espínola, e ela filha do ajudante Alexandre de Mello Pinto e Brázia Tavares da Fonseca.
Carlos de Freitas da Costa casou, em 24 de novembro de 1732, na Matriz, com Maria de Assumpção Espínola. Ele, filho de Manoel da Costa e Maria de Freitas. Ela, filha de Sebastião Teixeira, falecido, e Maria da Conceição de Freitas, ambos da Ilha da Madeira.
Alexandre de Mello Pinto casou, em 8 de maio de 1743, na Matriz, com Brázia Tavares da Fonseca. Ele, filho de José de Mello da Costa e Anna Maria do Espírito Santo. Ela, filha de Luis Alves Tavares e Maria da Fonseca, defuntos na época.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário ajudará na correção dos artigos e fotos, bem como na construção de novas informações.