domingo, 22 de maio de 2016

O casamento do lendário Thomaz Francês de Araújo

Por João Felipe da Trindade
jfhipotenusa@gmail.com

Corre entre os seridoenses uma lenda sobre dois irmãos gêmeos, nascidos em 1818,  filhos de Manoel Lopes Pequena e Ana Maria da Circuncisão, netos paternos de Félix Gomes Pequeno e Adriana de Holanda Vasconcelos e, maternos, de Thomaz de Araújo Pereira (3º) e Thereza de Jesus.

Thomaz de Araújo Pereira, meu tio pentavô, que governou esta província do Rio Grande do Norte, não tendo filhos do sexo masculino, resolveu criar esses dois netos, Manoel e Thomaz. Conta a lenda que Thomaz de Araújo Pereira enviou os ditos netos para estudarem na França. Entretanto, Thomaz, um dos gêmeos, se desentendeu com um dos seus mestres e o atacou com uma faca peixeira. Decretada a prisão dos dois, fugiram de volta para o Brasil.

Os pesquisadores não conseguiram comprovar a veracidade dessa história/lenda. Acredita-se que esses netos mudaram de nome para fugir de perseguição. Manoel Lopes Pequeno, passou a ser conhecido como Manoel Lopes Cananéa e o seu irmão, como Thomaz Francês.

Segue a imagem do casamento de Thomaz, cuja transcrição é: Aos vinte e seis de novembro de 1838, pelas dez horas da manhã, no lugar denominado Remédio, da Freguesia de Acari, precedendo dispensa de parentesco, servatis et servandis, sem impedimento, o Padre Joaquim Félix de Medeiros, de minha licença, uniu em matrimônio e deu as bênçãos nupciais aos meus paroquianos Thomaz Francês de Araújo e Maria Edeltrudes de Medeiros, filhos legítimos, ele, de Manoel Lopes Pequeno e Ana Maria da Circuncisão, ela, de José Barbosa  de Medeiros e Ana Violante de Medeiros; foram testemunhas José Jerônimo de Medeiros e Manoel Januário de Medeiros...Vigário Thomaz Pereira de Araújo.

Esse vigário era, também, neto Thomaz, e primo, portanto, do nubente.



Após esse casamento, fui atrás dos batismos desses gêmeos. Emobora tenham nascido no mesmo dias, seus batismos foram em dias diferentes. Vejamos.

Thomaz, filho legítimo de Manoel Lopes Pequeno e Dona Ana Maria da Circuncisão, naturais e moradores nesta Freguesia do Seridó, nasceu a 21 de março de 1818, e foi batizado por mim, na Fazenda Mulungú, aos 16 de abril do mesmo ano e lhe pus os santos óleos, foram padrinhos  o capitão Thomaz de Araújo Pereira e sua mulher Dona Thereza de Jesus, avós maternos do mesmo batizado. Do que para constar fiz este assento que assino. Vigário Francisco de Brito Guerra.

Manoel, filho legítimo de Manoel Lopes Pequeno e Dona Ana Maria da Circuncisão, naturais e moradores desta Freguesia, nasceu de um só parto, com Thomaz acima dito, a 21 de março  de 1818, e foi batizado na Fazenda Mulungú, a 23 de abril do mesmo ano, pelo Padre Coadjutor Ignácio Gonçalves de Melo, que lhe pôs, os santos óleos; foram padrinhos, os avos paternos, Felix Gomes Pequeno e sua mulher Ana Lins de Vasconcelos; do que para constar fiz este assento que assino. O Vigário Francisco de Brito Guerra.