quarta-feira, 30 de junho de 2010

O Capitão João Leite de Oliveira

O Capitão João Leite de Oliveira
João Felipe da Trindade (jfhipotenusa@gmail.com)
Professor da UFRN e membro do IHGRN
Entre os artigos de Câmara Cascudo do “O Livro das Velhas Figuras” está um sobre Antonio Vaz Gondim. Escreveu Cascudo: “Antonio Vaz Gondim foi o primeiro Capitão Mor que governou o Rio Grande do Norte depois do domínio holandês. Administrou duas vezes a Capitania, permanecendo quatorze anos. Homem prudente, equilibrado, enérgico, prestou serviços reais nesses momentos dolorosos em que a terra e a gente se reorganizavam para viver, depois de vinte e um anos de submissão e martírio”.
Nos registros da Igreja, que examinei, pouca coisa encontrei sobre esse que presidiu nossa província duas vezes. Por isso, fomos procurar alguma informação em outro tipo de registro. Encontramos, nos assentamentos de praça, um registro de um dos seus filhos. Diz o assentamento:
O Capitão João Leite de Oliveira, de idade de trinta e cinco anos, filho do Capitão Maior Antonio Vaz Gondim, natural desta Capitania do Rio Grande, altura comprida, cabelo castanho, rosto redondo, um sinal na maçã do rosto da parte esquerda, olhos pardos, de boa cor no rosto, senta praça de soldado nesta Companhia desde dez de fevereiro de 1699, e vence mil oitocentos e sessenta e seis de soldo por mês, na forma do assento do Conselho da Fazenda, lançado no livro 2 a fls. 79, verso, e não vencerá mais coisa alguma. (aa) Manoel Gonçalves Branco.
Com a informação acima, dando conta que João Leite sentou praça desde 1699, fomos procurar alguma coisa nos registros de batismos da Freguesia de Nossa Senhora da Apresentação do Rio Grande do Norte. Lá encontramos alguns filhos do Capitão João Leite de Oliveira e de sua esposa Damasia de Morais. São pois netos do Capitão Mor Antonio Vaz Gondim:
Clara, batizada em 12 de Abril de 1710, tendo como padrinhos, José Ferreira e Felizarda Filgueira (essa filha de Teodósia da Rocha e neta de Teodósio da Rocha); José, batizado em 14 de Novembro de 1702, tendo como padrinhos Manoel Rodrigues Taborda e Dona Joana de Barros Coutinho; Tereza, batizada em 27 de dezembro de 1704, tendo com padrinhos Capitão Antonio Dias Pereira e Brízida Rodrigues, filha de Izabel de Sá; e Bonifácio, batizado em 30 de Janeiro de 1707, tendo como padrinhos Carlos da Rocha e Jeronima Serrada, filha de Balthasar Fernandes.
Esse José que aparece acima deve ser José Martins de Oliveira que casou, em 1728, conforme registro abaixo.
Aos quatro de Fevereiro de mil setecentos e vinte e oito anos, na Capela de Nossa Senhora dos Remédios do Cajupiranga deste Rio Grande do Norte, pela manhã, feitas as denunciações na forma do Sagrado Concílio Tridentino, nesta Matriz de Nossa Senhora da Apresentação da Cidade do Natal, do Rio Grande do Norte, donde os contraentes são naturais e moradores, e na Capela do Cajupiranga, dito, onde é assistente a contraente, e na Capela de São Miguel do Guajiru, deste Rio Grande, onde é assistente o contraente, sem se descobrir impedimento, em presença do Reverendo Licenciado João Gomes Freire, Coadjutor da dita Matriz, de licença minha, sendo presente por testemunhas o Coronel Theodosio Freire de Amorim, e Damasia Gomes da Câmara, mulher do dito, o Capitão Bonifácio da Rocha Vieira, e sua mulher Ignácia Gomes Freire, pessoas conhecidas, se casaram em face da Igreja, solenemente, por palavras, José Martins de Oliveira, filho do Capitão João Leite de Oliveira, e de sua mulher Damasia de Moraes, com Catherina de Amorim Freire, filha do Capitão Domingos da Silveira, e de sua mulher Catherina de Amorim Freire, e ambos os contraentes naturais e moradores desta dita Freguesia do Rio Grande. Do que tudo fiz este assento em que por verdade assinei. E logo lhes deram as Bênçãos conforme os ritos da Igreja. Manoel Correa Gomes, vigário.
Esse Bonifácio da Rocha Vieira, acima, era filho do Capitão Theodosio da Rocha. A esposa dele, Dona Ignacia Gomes Freire era filha do Capitão Antonio Dias Pereira, padrinho de Tereza, filha do Capitão João Leite de Oliveira.
Dona Catharina, esposa de José Martins de Oliveira, foi batizada em 2 de novembro de 1704, na Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, tendo como padrinhos Antonio Lopes Lisboa e Dona Theodosia Freire. Entre seus irmãos encontramos, Gonçalo Freire que contraiu núpcias em 7 de maio de 1748 com Isabel Francisca Rodrigues, exposta na casa do padre Domingos Rodrigues Tilloens; Anna da Silveira que contraiu núpcias, em 1735, com Sebastião Dantas Correa, filho dos portugueses de Ponta de Lima, José Dantas Correa e Isabel Pimenta da Costa; José batizado em 16 de julho de 1708; e Estevão batizado 10 de Setembro de 1702.
Como dito em um artigo anterior, o Capitão Teodósio da Rocha, tinha um filho de nome Antonio Vaz Gondim. Com a precariedade de informações, não sabemos se havia alguma relação de parentesco de Theodósio da Rocha com o Presidente da Província.
Encontramos vários registros com sobrenomes Leite de Oliveira e Oliveira Leite, mas não identificamos nenhum parentesco com o Capitão João Leite de Oliveira. Assim, ele é o único filho que encontrei, até agora, do Presidente Antonio Vaz Gondim.