terça-feira, 10 de setembro de 2013

A mãe e duas irmãs do padre Manoel de Arruda Câmara

João Felipe da Trindade (jfhipotenusa@gmail.com)
Professor da UFRN, sócio do IHGRN e do INRG
A genealogia do polêmico capitão-mor de Pombal, Francisco de Arruda Câmara, ainda tem muitas lacunas e dúvidas. Era filho de Francisco de Arruda Câmara e de Clara Mendonça de Vasconcelos (ou Clara Espínola de Mendonça).

Fábio Arruda, lá das Alagoas, que descende de Vicência, irmã do capitão-mor, me enviou documentos inéditos sobre batismos de netos do capitão-mor e do óbito da esposa dele, Maria Saraiva da Silva.

Raquel foi batizada aos vinte e dois de janeiro de mil setecentos e noventa e dois, na capela de Santa Rita do Engenho Jardim, com vinte e dois anos de nascida. Era filha do Alferes Ignácio José Loyola e Dona Emerenciana de Arruda Câmara, neta paterna do tenente Feliciano Pereira de Lyra e Margarida Gomes da Anunciação, e materna do capitão-mor Francisco de Arruda Câmara e Maria Saraiva de Araújo. Foram padrinhos o capitão-mor Francisco de Arruda Câmara e Dona Margarida Gomes da Anunciação.

Amaro foi batizado aos vinte e quatro dias do mês de setembro de mil setecentos e noventa e três, na capela de Santa Rita do Engenho Jardim, com um mês e meio de nascido. Era filho do comandante Domingos de Abreu e Vasconcelos e Dona Maturniana (parece ser este o nome, no registro) de Arruda Câmara, moradores no Engenho Jardim, neto paterno do capitão João Dias da Silva Coutinho e Dona Maria José dos Prazeres, e materno do capitão-mor Francisco de Arruda Câmara e Maria Saraiva da Silva. Foram padrinhos, por procuração, o mestre de campo Amaro Gomes Coutinho e Dona Maria José dos Prazeres.

Como é comum nos registros da Igreja, houve variação no sobrenome de Dona Maria Saraiva da Silva. Com esses dois registros, acima, os nomes dos filhos do capitão-mor e de sua esposa, até agora reconhecidos documentalmente, são Dr. Francisco de Arruda Câmara, Padre Dr. Manoel de Arruda Câmara (botânico famoso), Maturniana de Arruda Câmara e Emerenciana de Arruda Câmara.

No Roteiro dos Azevedo e outras famílias do Nordeste, Sebastião de Azevedo Bastos cita, como uma das filhas do Capitão-mor Francisco de Arruda Câmara, a esposa de Antonio Ferreira de Macedo, D. Ana de Arruda Câmara. Diz mais, que filhos desse casal, netos, portanto, de Francisco de Arruda Câmara e Maria Saraiva da Silva são Antonio Ferreira de Macedo, Vicente Ferreira de Macedo e Estevão Jose da Rocha (Barão de Araruna). Segundo Ormuz Barbalho, baseado em outros autores e em pesquisa própria, é filho, também, de Antonio e Anna, José Ferreira da Rocha Camporra.

Vejamos agora o óbito de Dona Maria Saraiva. Nesse documento consta que: aos dois dias do mês de setembro de mil setecentos e oitenta e quatro, faleceu na vida presente, sem sacramentos, por não dar tempo a enfermidade e a distância, em idade de trinta e oito anos, pouco mais ou menos Dona Maria Saraiva da Silva, mulher do capitão-mor Francisco de Arruda Câmara e, foi sepultada nesta Paróquia, Igreja de Nossa Senhora  do Bom Sucesso, do arco para dentro, solenemente, com ofício de corpo presente, acompanhada de todos os sacerdotes, encomendada por mim, que fiz este assento, que o escrevi, Francisco Xavier de Viveiros – Cúria de Pombal.

Wilson Seixas Nóbrega, no seu livro Velho Arraial das Piranhas, Pombal, expõe outros documentos sobre o padre Manoel de Arruda Câmara. No testamento do padre Antonio Saraiva da Silva, em 1754, ele deixou parte dos seus bens, incluindo metade da fazenda São João do Apodi, para sua sobrinha Maria Saraiva. Por esse documento e outros, Wilson conclui que nessa data, Dona Maria Saraiva ainda era solteira.

Outro documento, citado por Wilson, é um traslado de procuração, no qual Dr. Manoel de Arruda Câmara informa que o sítio de terras, denominado São João, na Ribeira das várzeas do Apodi, foi do seu avô, coronel Ignácio Saraiva de Araújo. Este último e o padre Antonio Saraiva da Silva eram irmãos de João Ferreira da Silva, primeiro sogro do capitão Manoel Varella Barca.

Na busca por detalhes sobre Anna de Arruda Câmara, temos pesquisado sobre seus descendentes.

De um registro encontrado por Isabel Pinto, extraímos que: aos 2 de fevereiro de mil oitocentos e quarenta e um, na casa de Estevão José da Rocha (futuro Barão de Araruna), e na presença das testemunhas major José Joaquim das Neves e o tenente-coronel Leonardo Bezerra Cavalcanti, casaram, dispensados no segundo grau de consanguinidade, Antonio Cândido Tamaturgo de Farias, filho de João Ferreira de Farias e de Ana Joaquina da Conceição, e Maria Madalena de Jesus, filha do capitão Estevão José da Rocha e de Maria Madalena das Dores, ambos naturais da freguesia de Bananeiras.

Já expomos aqui, em outro artigo, casamentos de filhos de Vicente Ferreira de Macedo e Antonio Ferreira de Macedo. Ainda, nos registros da Freguesia de Santa Cruz, encontramos dois casamentos de filhos de José Ferreira da Rocha Camporra e Anna Joaquina de Mello: em 1870, na Fazenda da Volta, Antonio Ferreira da Rocha casou com Thereza Avelina de Faria, filha de Francisco de Faria Costa e Anna Joaquina do Espírito Santo; e, em 1873, na Fazenda São Bento, Firmino Florentino da Rocha casou com Umbelina Hermelina de Faria, filha do finado(1870) José Ferreira de Faria e Balbina Francelina (Filonila) de Faria.

Observamos que na descendência de Antonio Ferreira de Macedo e Anna Arruda Câmara não encontramos ninguém, até agora, com o sobrenome Arruda Câmara.

Se você tiver documentos ou informações sobre velhas famílias, do Rio Grande do Norte, mande para o e-mail acima. 

5 comentários:

  1. Há uma importante relação histórica de um vetusto componente da tradicional família ARRUDA CÂMARA, com vínculo entre Apodi, Piancó e Pombal. Atrela-se ao fato de que o Tenente-Coronel IGNÁCIO SARAIVA DE ARAÚJO (0 2º e filho do 1º) no ano de 1785 foi indicado pelo Senado da Câmara de Portalegre-RN, para o importante cargo de Juiz Ordinário da então Vila, cargo que há havia ocupado em 1773. Neste ano de 1785 apresentou escusa para não se investido, em cujo documento informava residir em sua fazenda "São João", na Várzea do Apodi. Uma irmã desse Ignácio, de nome Maria Saraiva da Silva casou com o Capitão-Mór de Piancó e Pombal/PB Sr. FRANCISCO DE ARRUDA CÂMARA (0 2º). Esse Ignácio era irmão do Capitão-Mór JOÃO FERREIRA DA SILVA, que também foi Juiz Ordinário indicado pelo mesmo Senado da Câmara de Portalegre em 1771 e 1772, tendo sido sucedido por seu irmão Ignácio. O Capitão-Mór João Ferreira da Silva faleceu em sua fazenda "São Lourenço", na Várzea do Apodi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos Pinto, sabia que você não deixaria escapar a menção ao Apodi do seu coração. Enriqueceu nosso artigo.

      Excluir
  2. Grande Marcos Pinto,
    Nos documentos de Pombal, parece-me que há ainda outro irmão do Tenente-Coronel Ignácio Saraiva de Araújo, chamava-se Alferes Lourenço Saraiva da Silva. A Procuração data de 1749, na mesma época em que o Tenente-Coronel ainda era Alferes.
    Luiz Fernando Pereira de Melo – Ilustre Amigo e Pesquisador das Famílias e História do Rio Grande do Norte - trouxe o seguinte:
    Capitão-Mor João Ferreira da Silva, juiz ordinário do Senado da Câmara da Vila de Portalegre em 1771 e 1772. Dono do sítio São Lourenço no Apodi, faleceu em 5 de fevereiro de 1788. Casado com d. Brites Maria de Mello. Apareceu, no curso do inventário o filho natural Floriano Ferreira da Silva, condição confirmada pela viuva e pelo Coronel Ignácio Saraiva da Silva, tio dos órfãos menores. Deixou desse matrimonio os seguintes filhos:
    Bn1) D. Luzia Florência da Silva, casada com Manoel Varela Barca [Capitão acima citado].
    Bn2) D. Brites Paes de Mello, casada com o alferes Francisco Alves da Maia.
    Bn3) João Bento Ferreira da Silva, de dezessete anos.
    Bn4) D. Anna Joaquina, de dez anos.

    Abçs
    Fábio Arruda de Lima
    Pesquisando Família "Arruda Câmara"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio, vamos ver se através dos descendentes descobrimos mais sobre Anna Arruda Câmara. Vamos ver também se descobrimos mais sobre a origem do nome Camporra. De onde ele surgiu. Parece um nome adotado, talvez de um lugar, de um sítio, de uma fazenda, de uma nacionalidade.

      Excluir
  3. Antonio Ferreira de Macedo (sepultado em Picuí em 1876) e D. Ana de Arruda Câmara são importantes na História da Cidade de Picuí - PB.Udenilson Silveira.

    ResponderExcluir

Seu comentário ajudará na correção dos artigos e fotos, bem como na construção de novas informações.