segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

A descendência do holandês Joris Gartsman

 
A descendência do holandês Joris Garstman
No dia  3 de outubro, próximo passado, completou 364 do massacre de Uruaçu. Comandava a Fortaleza dos Reis Magos, naquele momento, o holandês Joris Garstman.
No livro “História da Fortaleza da Barra do Rio Grande”, Hélio Galvão escreveu: “Na família Lopes Galvão radicada na área de ocupação flamenga, é corrente a tradição de que certa moça dessa família se casou com o holandês Garstman, de onde se originou o ramo Grasciman Galvão. Nossas investigações nos têm conduzido cada vez mais, em aproximações sucessivas, à convicção de que a tradição familiar vem sendo confirmada pelos documentos até agora revelados.” Diz mais adiante Hélio Galvão: “Sabe-se, por outro lado, que o assassínio do sogro de Garstman foi a razão principal que fez deflagrar a escopeta que matou Jacob Rabe. De fato, entre os mortos de Uruaçu está Lostau Navarro, precisamente aquele que a tradição aponta como o sogro do Major Garstman.”
Deduz  Hélio Galvão, por conta da suas exaustivas pesquisas, que Beatriz Lostao Casa Maior, filha de João Lostau de Navarro, se casou com o Tenente Coronel Joris Garstman. Afirma mais ainda que eles são os pais de Teodósio de Gracisman e Isabel de Gracisman. Joris Garstman esteve também no governo da Capitania do Ceará e entregou o forte de São Sebastião em 20 de maio de 1654, partindo em 1º de julho para as Antilhas, tendo morrido de morte natural na Martinica, segundo consta do livro acima. O estranho é que não se encontrou nenhum documento, tanto no Brasil como na Holanda, que registre o nome da esposa de Joris Garstman e nem o destino dela. Tampouco se conhece a esposa de João Lostau de Navarro. De onde surgiu o sobrenome Galvão? Será que não veio da família de Sargento-mor Francisco Lopes que casou com Joana Dorneles, filha de Maria de Lostao Casa Maior, outra filha de João Lostau, que casou com Manoel Rodrigues Pimentel? O sobrenome Lopes Galvão aparece com mais freqüência  nos descendentes de Cipriano Lopes Pimentel, filho de Francisco Lopes e Joana Dorneles. Galvão aparece nos filhos de Teodósio de Graciman, acredito  que por conta de Paula Barbosa, filha de Francisco Lopes e Joana Dorneles. Há que se juntar ainda muitos documentos para se ter conclusões mais precisas. A tradição muitas vezes obscurece a verdade.
Vamos transcrever para cá antigos registros de batismos da Freguesia de Nossa Senhora da Apresentação onde aparecem familiares do suposto descendente de Garstman, Theodosio de Graciman. Observem as diversas variações do sobrenome que aparecem nos diversos registros da Igreja Católica
“Aos 25 de Abril de 691 bautisei na Capella de Santo Antonio de Pebuna (é o nome que consigo ler), a Anna filha do Capitam Thedosio de Grasimã e de sua mulher Paula Barbosa; foi madrinha Dona Antonio de Oliveira; pus lhe os Santos Óleos do que fiz este asento, dia era  ut supra. Reverendo Vigário Gonçalves de Freitas.”
Dona Antonia de Oliveira era a esposa de Theodosio da Rocha como vimos em artigo anterior. Já fizemos referência a Paula Barbosa acima. A batizada pode ser Ana Barbosa de Graciman Galvão.
“Aos 25 de Novembro de 1695 em a Capella de São Gonçalo do Putegi bautizey a Maria filha do Capitam Theodosio Graciman e de sua mulher Paula Barboza; forão Padrinhos o Padre Pedro Pereira e Maria Gomes mulher de Antonio Bautista Pimentel, do que fiz este assento, em que me assigney era ut supra. Basílio de Abreu e Andrade.”
Entre as filhas de Teodósio e Paula, citadas por Hélio Galvão, existe uma de nome Maria Ferreira da Costa.
“Em 30 de Maio de 1703 annos na Capella de Santo Antonio do Potegi baptizei a Gaspar filho do Tenente Gaspar Rebouças e de sua mulher Ursula Leite, forão Padrinhos o Capitão Theodosio da Rocha e Florença de Gracisman, filha do Tenente de Coronel Theodosio de Gracisman. Tem os santos óleos, Simão Rodrigues de Sá.”
“Em 31 de Maio de 1703 na Capella de Santo Antonio do Potegi baptizei a Constantino filho de Paschoal Nunes e de sua mulher Isabel de Freitas; forão Padrinhos o Sargento Mayor Manoel de Abreu Frielas, e Joana de Gracisman filha  do Tenente de Coronel Theodosio de Gracisman. Tem os santos óleos. Simão Rodrigues de Sá.”
O Sargento-mor Manoel de Abreu Frielas era casado com outra filha de Joana Dorneles e do Sargento-mor Francisco Lopes, de nome Isabel Dorneles. Nas citações de Hélio Galvão o sobrenome de Joana, filha de Theodosio,  é Dorneles. Nesse mesmo documento ele diz que essa Joana Dorneles casou com Antonio Nunes Ferreira. Entretanto, um registro de casamento dá conta que quem casou com Antonio foi Catherina Barbosa
“Em 16 de Maio de 1705 annos na Capella de Santo Antonio do Potegi de licença minha Baptizou o Padre Francisco Bezerra de Goes a Marcelina filha de Manoel da Costa Condestável e de sua mulher Maria de Freitas; forão Padrinhos Joseph Barros do Rego e Custódia Dornellas filha de Theodosio de Gracisman. Simão Rodrigues de Sá.”.  .
“Em 13 de junho de 1710 na Capella do Senhor Santo Antonio Baptizei a Joseph filho de Pedro Filgueira e de sua mulher Custodia de Gracisman; forão Padrinhos Joseph Porrate de Moraes Castro, e a viúva Isabel de Graciman. Tem os Santos Óleos. Simão Rodrigues de Sá.”
O padrinho José Porrate foi apresentado em artigo anterior através do seu casamento com Margarida da Rocha filha de Theodosio da Rocha
No próximo artigo veremos outros registros que denunciam a presença da família Graciman no Jaguaribe.

Um comentário:

Seu comentário ajudará na correção dos artigos e fotos, bem como na construção de novas informações.