terça-feira, 25 de novembro de 2014

Rufino Álvares de Clavasino Costa


João Felipe da Trindade (jfhipotenusa@gmail.com)
Professor da UFRN, membro do IHGRN e INRG
Rufino foi dono do Sítio Sacco da Freguesia de Macau, e vendeu uma parte de terras nas sobras desse mesmo Sítio, que se tornou depois o Alto do Rodrigues, para o capitão Joaquim Rodrigues Ferreira.

Para conhecê-lo melhor, vejamos o seu casamento: Aos oito dias do mês de fevereiro de 1853, às onze horas da manhã, na capela de Nossa Senhora da Conceição da Vila de Macau, na presença do Reverendo Ignácio Damazo Correa Lôbo, de minha licença, e das testemunhas Nicolau Vieira de Mello e José Correa de Mello, casados, e moradores nesta Freguesia, se uniram em matrimônio por palavras de presente, e receberam as bênçãos nupciais, os meus paroquianos Rufino Álvares de Clavasino Costa e Josefa Maria da Fonseca, naturais: ela, da Freguesia de São João Baptista do Assú;e ele desta de São José de Angicos, onde moram, filhos legítimos: ele, de Vicente Ferreira Barbosa, e de Francisca Xavier, falecida; ela de José Antonio da Fonseca e Maria Magalona de Jesus, falecidos: do que fez o dito padre este assento, que remeteu-me, e pelo qual faço este termo, em que me assino. O vigário Felis Alves de Sousa.

A testemunha Nicolau Vieira de Mello tinha casado, na Ilha de Manoel Gonçalves, com uma irmã da nubente, de nome Maria Francisca da Fonseca.

O pai do noivo, Vicente Ferreira Barbosa, foi figura de destaque em Angicos e vizinhanças. Casou três vezes: a primeira com Francisca Xavier da Costa, filha de Alexandre Barbosa e Joana Barbosa, como se vê da árvore genealógica desenhada por Jacob Avelino; a segunda com Francisca Xavier da Cruz, filha de José Antonio de Mello e Mathildes Quitéria da Cruz, e nessa época viúva de João Pereira Pinto Junior; e a terceira com Claudiana Evarista Ferreira de Moraes, filha de Antonio Ferreira de Moraes e Antonia Thereza de Jesus. Todas as suas esposas eram suas parentas.

Pela simplificação do registro de casamento, não se pode inferir qual das duas Franciscas era a mãe de Rufino, pois ambas eram falecidas quando ele casou. Talvez, Rufino seja filha da segunda, Francisca Xavier da Costa, com quem Vicente Ferreira casou em 1827.

Entre seus irmãos destacamos: Joanna Cordulina Xavier Ferreira, que foi casada com Francisco Machado de Azevedo Costa; Anna Francisca Xavier, que casou com João Ignácio Pereira Pinto, em 1833, cunhado da segunda esposa de Vicente Ferreira Barbosa; Antonio Valério da Costa Bezerra, que foi casado com uma filha de Francisco Xavier de Souza e Josefa Francisca da Costa.
Vejamos um registro de um filho de Rufino, com nome incomum: Neophito, filho legítimo de Rufino Álvares de Clavasino Costa e Josefa Maria da Conceição, nasceu a vinte e um de novembro de mil oitocentos e cinqüenta e seis, e foi batizado, solenemente, nesta Matriz do Assú, pelo Reverendo Coadjutor Elias Barbalho Bezerra, a 12 de março de mil oitocentos e cinqüenta e sete, e foram padrinhos, o major Vicente Ferreira Barbosa e Maria Joaquina da Fonseca, casados, e para constar mandei fazer este assento em que assino. Manoel Januário Bezerra Cavalcanti, Vigário Colado do Assú.

Pelos registros da Igreja, onde aparece como padrinho, como também através de jornais antigos, vemos que Rufino casou uma segunda vez. Não encontramos esse registro de casamento, mas sua esposa, Maria Joaquina da Fonseca, que tinha o mesmo nome da madrinha de Neophito, possivelmente, era irmã da primeira esposa, como era comum naquela época. Um filho do casal Rufino Álvares Clavasino da Costa e Maria Joaquina da Fonseca, nasceu no ano de 1861.
Neophito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário ajudará na correção dos artigos e fotos, bem como na construção de novas informações.