quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Domingos Afonso Ferreira e Bento José da Costa

Por João Felipe da Trindade
jfhipotenusa@gmail.com

Conta Olavo Medeiros Filho no seu livro sobre as Ribeiras do Assú que "No acervo documental do Instituto Histórico e Geográficos do Rio Grande do Norte encontram-se duas transcrições de velhos papéis relacionados com fazendas e terrenos, outrora pertencentes a dona Francisca Rosa da Fonseca, vendidos em 1797 a Domingos Afonso Ferreira e ao Tenente Coronel Bento José da Costa, moradores na Vila do Recife de Pernambuco."
No mesmo Instituto acima, encontrei duas cartas de Data e Sesmaria para o capitão-mor Domingos Affonso Ferreira, de números 583 e 584, relativas às sobras do Sítio chamado Madeira e do Amargoso nas salinas, e o outro de sobras de terras do Sítio da Entrada e das terras de N.S. do Carmo na barra do Rio Mossoró.
Com essas informações comecei uma pesquisa para descobrir quem eram, na verdade, esses cidadãos. Tinha uma pista que papai deixou que o Bento era tio da sua bisavó Josefina Maria Ferreira. Logo, no documento acima, localizei Cacimba dos Viana, onde minha avó Maria Josefina Martins Ferreira nasceu. Em seguida descobri que o administrador das terras do Bento, presente em um dos documentos, era o morador da Ilha Manoel Gonçalves, capitão João Martins Ferreira, que saiu com seu filho José Martins Ferreira, quatros genros e mais outros habitantes da ilha para o povoamento de Macau. 
Com essas informações e o auxilio dos documentos da Igreja, uma enxurrada de outras informações chegaram até minha presença. O mar se afastou e a ilha se apresentou com boa parte dos seus personagens. E aí descobri muito mais personagens do que os descritos por Emygdio Avelino para Antonio Soares e que é repetido por vários autores.
Encontrei ainda um  registro de casamento de Manuel Luis, filho legitimo de Luiz, escravo da casa do finado Bento José da Costa que morava na Fazenda Amargoso, testemunhado por Theodoro de Sousa Pinheiro e Matheus da Rocha Bezerra.
No ano de 1782, em Pernambuco, os bens de Henrique Martins, foram leiloados e arrematados por Domingos Affonso Ferreira. Entre eles se encontrava o Sítio das Jaqueiras que no século XIX já pertencia a Bento José da Costa. Essa relação entre Domingos e Bento me intrigava. Mergulhei mais ainda nas minhas pesquisas. Descobri que a filha de Bento, Maria Theodora, casou-se com o chefe da Revolução Pernambucana de 1817, Domingos José Martins, na capelinha das Jaqueiras, situada no Sítio do mesmo nome. Entretanto, não encontrava nada relativo a esse período sobre Domingos Affonso.
Numa pesquisa na internet, encontro que um filho de Domingos, Felipe Néri Ferreira, patrono da Policia Civil de Pernambuco, tinha participado da dita Revolução e, posteriormente, foi por curto período Presidente da Província da Paraíba. Além disso, Bento José da Costa e Felipe Néri participaram do Governo Provisório, em substituição a Luiz do Rego, em 1821. Intrigante que alguns participantes da Revolução de 1817 voltaram ao poder  posteriormente.
Nos registros de batismos de José e João, filhos de José Martins Ferreira e Josefina Maria Ferreira, em Macau, descubro que Anna Maria Theodora e Maria Theodora, duas  filhas de Bento, foram madrinhas deles. Descubro ainda que os padrinhos do outro filho, Francisco, foram o tenente-coronel José Ramos de Oliveira, e sua mulher D. Maria da Costa. Na revolução de 1817, José Ramos de Oliveira, comerciante, foi preso e só saiu da prisão no final da mesma. José Ramos e Bento José da Costa, um filho do tenente-coronel Bento, criaram, em 1837, a Companhia Beberibe, de abastecimento de águas para o Recife, e estão na lista dos deputados da primeira legislatura da Assembleia de Pernambuco (1835 – 1837). Além disso, José Ramos sucedeu a Bento na posse do Sítio das Jaqueiras.
Depois, procurando na internet por informações sobre os nossos Barões, encontrei o Barão das Mercês, Manoel José da Costa, outro filho de Bento José da Costa. Com ele vieram os seus avós. Por essas informações, os pais de Bento José da Costa, são Antonio José da Costa e Maria da Costa e os pais da esposa de Bento, Anna Maria Theodora, são Domingos Affonso Ferreira e Maria Teodora Moreira de Carvalho. Por essas informações descubro finalmente a relação entre esses dois senhores com participação ativa em Pernambuco e no Rio Grande do Norte. Domingos Affonso Ferreira era sogro de Bento José da Costa.
Procuro agora o elo que liga Josefina a Bento.

8 comentários:

  1. Caro amigo, você leu o livro A Noiva da Revolução?
    Impressionante a coincidência com esta historia. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Sérgio
      Já li o livro a Noiva da Revolução. Dona Maria Teodora, a noiva da revolução, foi madrinha de meu tio bisavô, João Martins Ferreira, batizado, na mesma data do meu bisavô, e seu irmão, Francisco Martins Ferreira.
      Os padrinhos do meu bisavô foi o comendador José Ramos de Oliveira, filho do que foi preso na Revolução, que se chamava, na verdade José de Oliveira Ramos, muito citado por Tolenare.
      Meu tetravô, Capitão João Martins Ferreira, foi administrador das terras de Bento.

      Excluir
  2. Caro João este livro pode lhe dar muitas respostas interessantes, forte abraço. Sergio Lopes( BLOG SERGIO BALACUDA)

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Prezado João, você menciona, em seu texto, diversos batismos. Por acaso você encontrou os registros de batismo dos filhos de Bento José da Costa? Agradeço, desde já, sua atenção. Um abraço, Luiz Eduardo Maya Ferreira

    ResponderExcluir

Seu comentário ajudará na correção dos artigos e fotos, bem como na construção de novas informações.